Ensine seu filho a respeitar o outro, antes que seja tarde…

Hoje em dia qualquer notícia que se espalhe na internet é muito passageira, e mesmo que o timing para falar sobre o assunto possa já ser tomado quase como perdido, considero-o de extrema importância para um debate entre pais, e para abordado em casa com os filhos. Pois não é de hoje que vejo crianças de classe média proferindo comentários e insinuações que diminuem pessoas de outras classes sociais e culturais.

Nesta semana a rede toda se chocou ao deparar-se com uma festa temática de um colégio no Rio Grande do Sul, nomeada “Se nada der certo”, onde alunos, inclusive crianças, se fantasiavam debochando de profissões como: caixa de supermercado, vendedor, faxineira, gari, cozinheiro, etc…

Parece que a escola se pronunciou assumindo o erro, mas o fato é: como é que logo de cara, pais, professores e coordenadores não suspeitaram que esse tipo de evento seria de extremo mau gosto? Qual seria a mensagem que gostariam de passar para os alunos? Que profissões que não exigem formação superior não são dignas? Será que não conseguem visualizar que muitas destas pessoas trabalham o dia todo para conseguirem estudar a noite, ou para sustentarem suas famílias e terem esperanças que seus filhos alcancem níveis de estudos maiores do que as delas? Enquanto que esses jovens já desfrutam de seus privilégios de poderem se dedicar a exclusivamente às suas formações? “Não parece óbvio que na maioria das vezes o “dar certo” que eles se referem está muito mais ligado a existência de uma oportunidade?

Se você não ensinar seu filho respeitar o outro, nada vai dar certo mesmo!

É função dos pais educar, ensinar valores e respeito aos filhos, e a escola é claro, deve colaborar para que esses preceitos se solidifiquem, por isso preste sempre muita atenção na filosofia que a escola do seu filho prega. Infelizmente, no Brasil é bem comum as pessoas enxergarem profissões que exigem “trabalho braçal” ou mecânico como inferiores e como sinônimo de fracasso profissional. Mas se quisermos um dia desfrutarmos de uma sociedade mais justa e mais humana, cabe a nós pais ensinarmos a eles que todas as profissões são dignas e devem ser respeitadas.

Quais são os valores você quer passar para o seu filho? O valor da dignidade, do trabalho e do esforço, ou de que a única coisa que importa na vida é a posição social e a conquista de bens materiais?

Faça o teste: pergunte para o seu filho o que ele achou do tema desta festa

Eis a resposta do meu filho de quase 11:

“Eu não achei nada legal essa festa, isso teve mesmo, mãe? Porque isso ofende essas pessoas que trabalham nessas profissões e não é legal, todas são importantes”

Confesso que fiquei aliviada com a resposta, mas não estou aqui para dizer que tenho filhos perfeitos, que não fazem ou não falam coisas erradas, pois tanto eu quanto eles estamos bem longe disto. E se a resposta fosse outra, esta seria a oportunidade para conversarmos mais ainda sobre o assunto e fazê-lo refletir sobre dignidade, valores e respeito ao próximo. Ensinar os filhos a respeitarem o próximo é algo muito importante e precisa ser feito o quanto antes, ou no futuro, as consequências podem ser muito mais graves do que a vergonha de participar de uma festa de mau gosto.

respeitar

Leia também: Filho, você é um privilegiado!

4 comentários em “Ensine seu filho a respeitar o outro, antes que seja tarde…

  1. Oi Cyntia!

    É bem por aí…gostei do seu ponto de vista e compartilho da mesma opinião.

    Sobre esse assunto, essa semana, li um comentário pertinente e que talvez a gente tmb tenha que parar um pouco pra pensar nisso como adultos, pais e educadores. Nossa geração foi educada e criada pra ter posição e status social. Certo ou errado, essa é a realidade! Quantas vezes escutamos, quando pequenos ou adolescentes "O que vc vai ser quando crescer?" E se a resposta não fosse Médico, Advogado, Engenheiro ou outra profissão que exigisse formação acadêmcia, a reação SEMPRE seria de ESPANTO! "Como assim vc quer ser Vendedora de Côco numa praia em Porto Seguro?" "Vc quer ser pintor? E vai viver de que? De venda de quadrinho na Praça da República?" !!!

    Infelizmente a gente incorporou isso e passamos essa idéia adiante, de que só é possível ter sucesso e ser feliz na vida se tivermos um diploma de nível superior. Hoje, depois de termos vivido, sabemos que isso é uma falácia. Que é possível ser feliz e ter sucesso fazendo o trabalho honesto que for! 

    Vc se lembra nos anos 80 que tinha uma história sobre o "Engenheiro que virou Suco"? Do bem sucedido profissional formado em Engenharia mas que acabou sem emprego pela era FHC e abriu uma lanchonete que vendia sucos naturais? Todo mundo se espantava NOSSA MAS COMO? COITADO! DE ENGENHEIRO FOI FAZER SUCO AFFFF e no final era um "case" de sucesso! 

    Essa "brincadeira" do Marista em 2015 e dessa semana nesse Colégio Evangélico, tmb do Sul, só reflete esse estereótipo que aprendemos tmb dentro das nossas casas e passamos para nossos filhos AINDA! Eu mesma Cynthia! Quantas vezes me peguei super preocupada com o futuro do Ro e do Thi porque o Ro desenha maravilhosamente bem e quer seguir nessa carreira e o Thi pensa muito na música? Eu mesma já me peguei brigando com os dois e pensando "Será Meu Deus que o Ro vai virar hippie pra vender seus desenhos e o Thi ficar nessa vida de tocar de madrugada em troca de cerveja??" hahahahah Hoje sei que estou MEGA errada porque além de reforçar um preconceito idiota com profissiões que possuem "status" menor, estou sendo totalmente IDIOTA em achar que meus filhos não serão bem sucedidos e felizes naquilo que eles quiserem fazer dos seus talentos!

    Essa "brincadeira" dos Colégios foi boa pra abrir nossos olhos! Pensemos nisso!

    Parabéns pelo texto! Gostei muito e é isso mesmo!

    Bjs

    Ana Beatriz Peixoto

    1. Bia, adorei sua reflexão, e pensei nisso mesmo antes ds publicá-lo, que poderia ser contráditorio pois como pais nós queremos que eles estudem e exerçam profissões que remunerem bem, para que se tornem independentes no futuro. Mas acho que o ponto principal é deixarmos claro muitas dessas pessoas não tiveram a oportunidade de escolher no que queriam trabalhar, e mesmo assim exercem  suas funções com muito esforço e dignidade e devem ser muito respeitadas por isso, pois todos precisamos dos serviços um do outro.  E também não há  nada demais escolher uma dessas profissões mesmo tendo estudado para outra coisa, nem todos descobrem seu talento e o que realmente gostam de fazer desde o início né?  Acho que a questão principal é passar esses valores, o lance do respeito mesmo né? E que estudar é uma oportunidade maravilhosa que eles tem, e isso não podem jamais desperdiçar…Que tarefa dificil a nossa né? Beijo querida e muito obrigada pelo comentário!!

  2. Adorei esse post! Como sempre com temas enriquecedores e condizente com atualidade.

    Concordo com tudo que você expôs Cyn, acho que o mundo ta precisnando mudar urgente, o ponto de vista no geral, as pessoas estão só agindo sem pensar nas consequências. E também ta faltando senso nas pessoas, limites.

    Eu tento passar para os meus filhos um foco, ser do bem, ser uma pessoa melhor , em todos os sentidos positivos desde valores e educação, sou muito exigente como mãe e sei que as vezes pego até pesado e sei que lá fora vão encontrar pessoas na contramão vejo já isso na escola. E mesmo que rodeado de pessoas que não concordem, pois desejo que sigam um caminho do bem, sem me importar com uma profissão que queiram, minha menina sempre falou que queria ser veterinária quando mais novinha (ela adora bichos como eu) também falava que queria ser quando criança, mas nem fiz faculdade kkkkk hoje sou artesã. Ai hoje ela quer ser professora, mas vai mudar muito ainda e eu e meu marido nunca iremos interferir no que querem seguir. Meu filho falava quando mais novo que queria ser lixeiro. E passava o caminhão aqui ele falava Oi para os rapazes, e a única coisa que citava é que esse trabalho é para alguém bem esforçado porque não era fácil seguir nesse ramo debaixo de sol e chuva.

    Hoje ele diz que quer ser Químico também não falo nada. Então eu deixo que sigam o caminho que decidirem na profissão que escolherem, pois sei que serão felizes no que escolherem, sei que escolheram pelo coração, pois eu trabalhei em escritório, empresas e hoje sou mãe, dona de casa e artesã. E faço tudo com muito amor e carinho e sou muito feliz !! 

    Obrigada pela leitura, adoro seu blog. As vezes eu sumo do face, IG…..mas sempre dou uma passadinha aqui no seu cantinho que tem muito conteúdo e só vem a somar no meu dia a dia .

    Beijo enorme 😉

    Dri 

Deixe uma resposta para Adriana Ávila Cancelar resposta