Distúrbios da tireoide em crianças e adolescentes

 
Nesta semana, de 23 a 29 maio, acontece a Semana Internacional da Tireoide, e estive num evento da Merck, que nos atentou sobre a importância do diagnóstico dos distúrbios da tireoide em crianças e adolescentes. Para quem não sabe, meu caçula tem hipotireoidismo adquirido, descoberto antes do diagnóstico de déficit do hormônio do crescimento (contei aqui neste post). Quando ele tinha 4 anos, nós buscamos um endocrinologista infantil pois além da baixa estatura comparada a outros de sua idade, eu também observava que ele era um menino meio apático, tinha pouco apetite, e suas unhas pareciam não crescerem nunca. Hoje já faz mais de 4 anos que ele toma as duas medicações (da tireoide e o hormônio do crescimento) diariamente, e não apresenta mais esses sintomas (tem até energia sobrando), e já alcançou a estatura normal para sua idade.
 
Os distúrbios da tireoide são: o hipotireoidismo, quando a glândula da tireoide esta produzindo pouco hormônio, e o hipertireoidismo, quando a glândula da tireoide produz muitos hormônios e as funções do corpo tendem a acelerar.
 
O Hipotireoidismo congênito: o ocorre em 1 a cada 2000-4000 bebês, pode causar debilidade leve, moderada ou severa na criança. É tratável e detectável através do teste do pezinho. 
 
Toda mãe tem o direito de que seu bebê faça o teste do pezinho e receba o resultado rapidamente. 
O Hipotireoidismo adquirido (tireoidite de Hashimoto): afeta 1 a 2% dos adolescentes no mundo. O sistema imunológico do corpo ataca a tireoide e interfere na produção de seus hormônios.

 

O diagnóstico do hipotireoidismo é feito através de um exame de dosagem de TSH e T4 livre (e outros exames adicionais que podem ser solicitados pelo médico), e o tratamento é feito com a reposição do hormônio.

 
Principais sintomas do hipotireoidismo: sonolência excessiva, sono não reparador (lentidão, baixa concentração, esquecimento fácil), tristeza, lentidão, intestino preso, ressecamento da pele e cabelos, unhas fracas, frequência cardíaca baixa, ganho de peso inexplicável. O hipotireoidismo não tratado em crianças pode atrapalhar o crescimento e o rendimento escolar, e pode retardar o início da puberdade em adolescentes.
 
Hipertireoidismo: é relativamente raro, ocorre entre 8 a 1.000.000 de crianças com menos de 15 anos e 1 a cada 1.000.000 em crianças com menos de 4 anos de idade.
 
Principais sintomas do Hipertireoidismo: sonolência, irritabilidade, inquietude e falta de concentração (da criança na sala de aula, por exemplo), frequentemente emotivo e propenso a lágrimas, mãos trêmulas, apetite aumentado e perda de peso, diarreia, e em meninas os ciclos menstruais são fracos ou inexistentes. A causa mais comum de hipertireoidismo em crianças é a condição chamada doença de Graves, cujos sintomas adicionais são: inchaço no pescoço e olhos saltados. Também existem várias opções de tratamento para controlar os sintomas e tratar a causa primária.
Caça as borboletas, companha da Semana da tireoide para reconhecer os sintomas em crianças
 
Como puderam observar, os sintomas dos distúrbios da tireoide são bem comuns a outras condições que podem não estar relacionadas a essas doenças que citei acima.
Deste modo, o objetivo deste post não foi o de transmitir um conteúdo detalhado de diagnóstico e tratamento das mesmas (mesmo porque não sou um profissional médico), mas sim, de conscientizar as pessoas da importância do diagnóstico e tratamento das doenças da tireoide o mais cedo possível. Por exemplo, no hipotireoidismo adquirido, quanto mais cedo a criança fizer a reposição hormonal, mais chances terá de alcançar sua altura normal na curva de crescimento. Portanto, se você desconfiar que seu filho possa ter algum desses sintomas, comunique seu pediatra ou endocrinologista, certamente ele solicitará um exame de dosagem do TSH e T4 livre, para que se necessário, possa iniciar um tratamento e seu filho poderá crescer normalmente. Mais informações aqui e aqui.

Um comentário em “Distúrbios da tireoide em crianças e adolescentes

  1. ótimo post, Cí.
    Aqui em casa os distúrbios são super conhecidos. Mãe e irmã que tem hipo e nesse ano descobrimos que dois sobrinhos adolescentes tb tem. =( Todo mundo tomando hormônio e fazendo acompanhamento com endocrinologista. É importante ter informação e fazer o tratamento direitinho.

    Beijinhos.
    http://www.vaigarota.com/

Deixe uma resposta para Gi Lizarda Cancelar resposta