Pokémon GO: o lado bacana que vi como mãe + dicas de segurança para as crianças

 
Para quem quiser tem DIY da touca pokémon e da fantasia Ash Ketchum
 
Instalei Pokémon Go no meu celular na quarta a noite, e preciso contar para vocês que estou gostando, não apenas do jogo em si, mas tudo que ele tem trazido para o convívio aqui em casa. Reparem nos pontos positivos que encontrei:
 Maior interação e diversão com meus filhos: como eles não têm celular, jogam no meu, e como não entendo nada do jogo, eles acabam meio que tomando conta (esse apreço deles pelo meu celular está me deixando um pouco tensa, mas tudo rs…) querem me mostrar como se joga e me ensinar quais pokémons são mais fortes, quais precisamos capturar em menor número para evoluir, etc…
Agora os pré-adolescentes querem sair de casa: já comentei com vocês que meus meninos andam bem anti-sociais (principalmente o de 10 anos) e nada empolgados para os passeios em família, porém agora está me parecendo que o cenário está mudando: Mãe, você não precisa ir ao supermercado hoje? Porque lá podem ter pokémons para caçarmos. Eles odeiam me acompanhar no supermercado e só por esse motivo já estou amando demais Pokémon Go rs
Pausa no Minecraft: eu curto minecraft, mas preciso confessar que estava cansada de ouvirem eles só falarem disso. Além do mais, Pokémon Go é para ser jogado ao ar livre, acho isso bem bacana.
 
 Porém é claro, existe o lado perigoso! 
Justamente pela caça ser feita na rua, não só as crianças, mas também os adultos precisam tomar cuidado com os riscos de assalto, roubo e também de acidentes causados pela distração dos jogadores, que mantém os olhos vidrados no celular. No caso dos meus filhos (de 8 e 10 anos), eles devem estar sempre acompanhados durante a caça dos pokémons (principalmente porque por enquanto será sempre no meu celular ou no do pai rs)
Mas no caso dos adolescentes ou de crianças maiores que já saem desacompanhadas dos pais, algumas medidas de segurança são fundamentais. O engenheiro de segurança da Norton divulgou algumas dicas bacanas para os pais orientarem seus filhos a respeito do jogo Pokémon Go, e achei bacana compartilhar com vocês: 
 
Cuidado com estranhos: criminosos podem se aproveitar da interação com jogadores em ginásios ou pokestops para abordarem suas vítimas. Caso seu filho seja maior e já saia sem a companhia dos pais, oriente-o a ficar sempre em grupos de amigos. E neste caso, você também pode usar um aplicativo para monitorar sua localização.
Estabeleça limites de locais para explorar, e que não se dirijam sozinhas a lugares muito afastados. Cuidado com o“lure” de outros  estes itens são usados para atrair pokémons nos pokétops, fazendo com que todos os usuários próximos aproveitem o recurso, e isto pode servir como isca para criminosos. Oriente seu filho a definir um local seguro para brincar tranquilamente (por exemplo um shopping)
Cuidado com as compras dentro do app Pokémon Go: para o sistema IOS você pode ativar uma opção de controle parental que alerta alguém da família se o jogador tentar comprar algo e te pedirá permissão. Para o Google Play, você pode ativar uma opção de autenticação de compra.
 
Outro perigo é o vício! O tempo de uso do jogo pela criança deve ser o mesmo estipulado para outros jogos eletrônicos. A criança e o adolescente devem saber que a rotina e o tempo dedicado aos estudos nunca deve ser alterado, e o tempo para caçar pokémons deve ser enquadrado no horário de entretenimento.

Para os adultos: jamais dirija jogando Pokémon Go ou qualquer outro jogo, pois o perigo de causar um acidente é muito grande!

Penso que tudo na vida tem dois lados, e o resultado vai sempre depender de como a ferramenta é utilizada.

 É isso, gente! Eu to curtindo essa nova moda e vamos ver quanto tempo vai durar! Ficando sempre atentos a essas pequenas medidas de segurança, podemos deixar a criançada jogar, brincar, e nós aproveitamos para nos divertirmos com eles também!

Um comentário em “Pokémon GO: o lado bacana que vi como mãe + dicas de segurança para as crianças

  1. Meu filho baixou para ele e meu neto…vamos ver se gostarão. Acredito que sob supervisão de um adulto, não há problema. Assim como tudo na vida, néah?! rsrsrsrs beijos.

Deixe uma resposta