Festa craft (aproveitando materiais de outras festas)

Vocês sabem que as festinhas com decoração craft são minhas preferidas tanto pelo lado da econômia quanto pelo gosto pessoal mesmo. Imprimir, recortar, colar, costurar, fazer tudo com carinho para um filho e do jeitinho que ele, e a gente quer não tem preço né? Mas sempre fico com uma pulga atrás da orelha pensando que sempre há um certo desperdício naquilo tudo que fizemos. Toppers, bandeirinhas, enfeitinhos de papel de scrap, mesmo indo para o lixo reciclável me dão uma dorzinha no coração, mesmo não tendo muito o que fazer para evitar, porque é claro queremos que fique tudo lindo e caprichado. Sempre guardei algumas coisas que fiz para as festinhas dos meninos, mesmo sem ter muitas esperanças de reuso. E eis que minha amiga Aline me disse que o Bruninho queria uma festa de tema “espaço” e me perguntou se teria alguma coisa daquela festa alienígena que fiz pro Matheo. Siiiim, eu tinha guardado algumas coisas e fiquei muito feliz por elas serem reaproveitadas, renovadas e participado da linda festa do Bruno.

 

Teve também os foguetes e discos voadores que o pai do Bruno fez (além de mãe crafteira, ele tem pai crafteiro também rs) com garrafa pet e pratinhos. 
 Então, bora incentivar a troca, reuso e reciclagem dos enfeites crafts das festinhas? Abraço

Um comentário em “Festa craft (aproveitando materiais de outras festas)

  1. Linda atitude!!! Aqui estou numa correria só. Domingo é o 1º aninho do meu bebê e mesmo sem experiências resolvi colocar a mão na massa e fazer algumas coisinhas, mas adoraria ter algumas lindezas dessas se pudesse. Muitas ideias surgiram daqui do Fala mãe! Depois mostro fotos.
    Beijos enorme!!!

    Mônica Soares

  2. Cy querida, também tenho muita dó de jogar estas coisas fora.
    Que ótimo que algumas puderam ser reutilizadas, em uma festa que ficou linda de viver!
    Beijossssssss e saudades masters de ti!!!
    Vero

  3. Tb fico com dó do desperdício, mas adoro essas festas assim! Ficam lindas! Acho que só o fato de ser feita pela família, já dignifica, né? 😉

Deixe uma resposta para Cynthia Le Bourlegat Cancelar resposta