Dia das mães é lindo, mas são os outros dias que importam

Resolvi escrever esse texto depois da polêmica que vi diante do texto da Rita Lisauskas “Acabem com o tormento do dia das mães na escola” para sua coluna no jornal Estadão.

Eu já fui a algumas festas de dia das mães na antiga escola do meu mais velho, e acho nem preciso contar que chorei sim em todas elas. E lembro-me bem da emoção que senti na primeira vez ao vê-lo junto aos coleguinhas recitando versinhos e cantando uma linda canção temática (que ele não decorou claro, e também não cantou pois no momento da apresentação estava brincando de abrir e fechar o zíper do seu casaco). Depois teve a entrega do presentinho com cartão e adivinhem? Mais choro! E sabem por que eu chorei? Simplesmente pela emoção de ser mãe, de amar incondicionalmente e estar ali com outras colegas mães numa mesma sintonia e sentimento.

Porém na escola atual dos meninos não existe festa de dia das mães, nem dos pais, mas tem o Dia da família, onde todas as famílias da escola fazem juntas uma atividade ao ar livre . E querem saber? Eu, particularmente, não senti falta da festa de dia das mães, e me sinto até aliviada quando penso que essa festa poderia causar constrangimentos às crianças que não possuem uma família tida pela sociedade como “tradicional”, e principalmente àquelas crianças que perderam suas mães.

“Ah, mas a figura materna pode ser atribuída a qualquer pessoa que a criança ame e queira que represente esse papel” Sim, eu concordo plenamente com isso, e acredito mesmo que essa forma de amor e cuidado tão intensos não precisam necessariamente estar presente na figura tradicional da mãe. Entretanto, penso também que não nos cabe julgarmos o dano sentimental que uma data, onde a figura mais importante da vida de uma criança está ausente, causará em seu interior. Nos comentários daquele texto, li frases bem ressentidas, outras bem amargas, tais como “Eu não tive mãe e superei essas datas” ou “Não posso comemorar a vitória do meu time porque o outro perdeu" que me fizeram refletir sobre um sentimento muito perigoso que muitas vezes acerca a maternidade: o egoísmo.

E de verdade, querem saber por que a briga por esse protagonismo num palco de escola não vale a pena?

Porque a melhor homenagem na sua trajetória de mãe, ou aquela sensação de plenitude, satisfação e agradecimento que uma homenagem pode nos propiciar, poderá não aparecer especificamente nesse dia, mas ela…

Poderá aparecer num dia de chuva em você estará contente por estar debaixo das cobertas vendo um filminho com seu filho…

Poderá aparecer no alívio pela febre dele ter cedido…

Poderá aparecer num dia qualquer quando você vai estar deitada e ele começar a mexer no seu cabelo, te beijar e dizer que te ama.

Poderá aparecer num domingo qualquer quando ele disser que a sua lasanha é a melhor do mundo.

 Poderá aparecer no dia da formatura dele, quando ele irá te agradecer por tudo que você fez por ele.

Poderá aparecer no sorriso orgulhoso dele ao vir correndo te abraçar e te trazer uma notícia boa.

Poderá aparecer naquele fim de semana que você conseguiu reunir todos os seus filhos já crescidos na sua casa.

Poderá aparecer na preocupação dele com você doente…

Poderá aparecer em tantas outras situações, aparecer amanhã, aparecer daqui a pouco, ou quem sabe até já apareceu e você pode nem ter percebido…


A principal mensagem que eu gostaria de transmitir com este texto é: pode gostar e aproveitar as homenagens às mães na escola? Sim, claro que pode! As mães ou figuras maternas merecem receber lindas homenagens de seus filhos? Sim, certamente! Mas se não houver, não se chateie, pois tenho certeza nada vai abalar nosso protagonismo e grande importância na vida deles, e certamente receberemos lindas homenagens e demonstrações de amor ao longo de toda nossa vida.

Dia das mães é lindo sim, ganhar presentes, abraços, demonstrações de carinho são coisas maravilhosas que podemos colher nessa vida. Mas vamos permitir que a maternidade nos desperte apenas sentimentos bons, como por exemplo a empatia pelo outro, porque no fim das contas todos nós, pais e mães (de sangue ou não) amamos com a mesma intensidade e desejamos todos a mesma coisa, a felicidade dos nossos filhos e uma sociedade melhor para eles viverem. Um feliz dia das mães pra todas! (e para todos também)

Veja aqui mais textos sobre maternidade

4 comentários em “Dia das mães é lindo, mas são os outros dias que importam

  1. MEUDEUSDOCEU!

    Inspirada amiga!! Amei!

    Cada frase uma certeza: a gente melhora com o tempo de maternagem. Um lindo dia das mães para vc e sua mammy, mas todos os dias de gratidão pela família linda que tem.

    beijao

    Lele

  2. Own que texto mais lindo !! Me emocionei com suas palavras, falou tudo e concordo com tudo!

    Cyn tenho dois filhos um menino de 10 anos e uma menina de 7 , e ainda tenho 4 filhos de 4 patas a que me atribuo mãe. Sim acredito que o amor incondicional é o representa amar alguém que jamais vc amou antes, um amor único independente se for de criação ou não. Minha mãe foi criada em orfanato sabe muito bem a carência de não ter tido pais e uma família como a que ela e meu pai deram p mim e meus 3 irmãos.

    Eu concordo com vc diante das homenagens, amanhã vai ter na escola uma homenagem em geral, e meus filhos comentaram que as crianças que ensaiaram se emocionaram cantando a música que será apresentada amanhã (Trem Bala). Essa letra emociona né e muito tocou as crianças por algum motivo e a gente sabe que nem todas tem a sorte de terem o afeto que precisa, eu morro de pena, dá vontade de dar abraço em todas. Meu filho falou que teve um menino que chorou porque não tem os pais. E acho que por causa dessa situação veio um bilhete da escola ontem lembrando de amanhã corrigido… falando que a homenagem não é só para as mães, mas tbm pai, avós, tios e qualquer responsavel  que cuida da criança. Pelo menos amenizou a situação, calhou com o assunto do seu texto, e resolvi comentar . 

    As frases do "Poderá" é bem o que eu levo comigo….obrigada pelo post de hoje amei <3 bjs enorme e feliz dia das mães <3 

    Dri 🙂

Deixe uma resposta