Desafios da maternidade: definir respeito

                                                                                                                                         Link da imagem
Sei que toda mãe que tem filhos mais velho adora falar para as outras: “se você tá achando difícil agora, espera que só piora..” Retirando um pouco do drama e do sarcasmo, acho que há boa parte de verdade nisso.
Aqui estou passando por uma fase bem difícil com meu filho de 6. Nossa conduta com as crianças sempre foi assim: desobedeceu ou agrediu o irmão, vai para o castigo refletir por determinado tempo, depois vem para a conversa para esclarecer o erro e avaliar se agiu certo ou errado, em seguida vem o perdão e as pazes.
Isso funcionava bem até pouco tempo, mas agora meu mais velho está numa fase (combinada com sua personalidade turrona) de rebater tudo o que eu digo, para cada bronca, cada probição, com um argumento rápido e lógico na opinião dele e com isso, vem o desrespeito e a petulância.
Tenho conversado horas com ele tentando definir claramente o que é respeito, que nós temos uma relação amigável, íntima e informal, bem diferente de como era a relação pais e filhos de antigamente, mas que apesar disso ele não poderia falar comigo e me retrucar como fala com um coleguinha. Falo muito e resumo dizendo: trate as pessoas apenas como gostaria de ser tratado, com gentileza e educação, e acima de tudo: respeite pai, mãe, e as pessoas mais velhas, sendo assim você será uma pessoa boa e querida.
Não vou dizer que está sendo fácil e que as conversas resolvem assim num passe de mágica, mas não desistimos e seguimos educando.
Quem tiver filhos nessa fase e tem dicas de como agir e melhor conduzir essa fase, seram bem
vindas!
Abraço e ótima semana a todos!

Um comentário em “Desafios da maternidade: definir respeito

  1. Olá Cynthia!!
    Pensei que fosse só eu que passava por isso,rs. No meu caso, é uma menininha de quase 5 anos – a mais velha. Ela nunca me desafiou, nunca foi de desobedecer, aliás, eu era toda orgulhosa pelos elogios que recebia pelo comportamento dela. Porém, de uns tempos para cá (mais especificamente do meu tempo de gravidez e nascimento da minha segunda filha) ela vêm se "rebelando". Se eu estou conversando com o pai dela, ela interrompe, quando eu falo alguma coisa ela vira para o meu marido e diz "o pai, fala para sua esposa…"- quer dizer, eu virei a esposa do pai dela, e não a mãe dela. Fora que ela "resolve" fazer passeios com o pai e me exclui, a mim e à irmã (que tem agora 2 meses) das programações. Estou tentando levar na esportiva e na tranquilidade, mas as vezes eu piro de raiva…a ultima foi um chute que levei por não ter contado historinha antes de dormir (isso por que temos um acordo: ou história OU canção antes de dormir, os dois não. Nesse dia, foi o dia da canção – ela é que escolhe, não sou eu)…a outra que me aprontou foi de ter deitado a cabeça em cima da cabeça da irmã – a bebê deu grito de dor que eu fiquei aterrorizada de ter dado algum problema, mas Graças a Deus não aconteceu nada….

    UFA

    Desculpa o SUPER comentário. Tava precisando desabafar.

    Bjks!

  2. Olá Cynthia!!
    Pensei que fosse só eu que passava por isso,rs. No meu caso, é uma menininha de quase 5 anos – a mais velha. Ela nunca me desafiou, nunca foi de desobedecer, aliás, eu era toda orgulhosa pelos elogios que recebia pelo comportamento dela. Porém, de uns tempos para cá (mais especificamente do meu tempo de gravidez e nascimento da minha segunda filha) ela vêm se "rebelando". Se eu estou conversando com o pai dela, ela interrompe, quando eu falo alguma coisa ela vira para o meu marido e diz "o pai, fala para sua esposa…"- quer dizer, eu virei a esposa do pai dela, e não a mãe dela. Fora que ela "resolve" fazer passeios com o pai e me exclui, a mim e à irmã (que tem agora 2 meses) das programações. Estou tentando levar na esportiva e na tranquilidade, mas as vezes eu piro de raiva…a ultima foi um chute que levei por não ter contado historinha antes de dormir (isso por que temos um acordo: ou história OU canção antes de dormir, os dois não. Nesse dia, foi o dia da canção – ela é que escolhe, não sou eu)…a outra que me aprontou foi de ter deitado a cabeça em cima da cabeça da irmã – a bebê deu grito de dor que eu fiquei aterrorizada de ter dado algum problema, mas Graças a Deus não aconteceu nada….

    UFA

    Desculpa o SUPER comentário. Tava precisando desabafar.

    Bjks!

  3. Olá amiga, eu já estou na fase do "espera q vai piorar!"rsrsrs…meu filho hj com 15 anos tbm já passou por esta fase q até hj é complicado até pq ele tem personalidade forte e muito parecida com a minha, consequentemente batemos de frente. Mas sempre me respeitou e é um amor de filho defendendo sua opinião sempre, lógico.Mas assim acredito q não haja regras apenas lidar com amor e tentar ensiná-los q respeito e educação sempre independente com quem seja. Bjusss e boa sorte!

  4. Oi Cynthia, o meu passou por essa fase, e digo que melhorou. Acho que as melhores coisas são a conversa e a convivência. Gosto de dar um gelo também. Ele percebe e sente.
    Beijos, boa sorte!

  5. Oi Cynthia, o meu passou por essa fase, e digo que melhorou. Acho que as melhores coisas são a conversa e a convivência. Gosto de dar um gelo também. Ele percebe e sente.
    Beijos, boa sorte!

  6. Oi cinthia, faz tempo q nao comento mas, acompanho sempre o seu blog!
    Bom meu filho q fez 6 anos em janeiro, q tbm sempre foi facil, tbm mudou um pouco achava q por causa da irma q fez tbm em janeiro de 3 anos, ela e diferente dele tem temperamento forte e e de opiniao!
    Aff, sao bem difrentes bem mesmo, um tranquilo a outra agitada, eu to passando pelo mesmo q vc, e nao estou so 😛 Kkkkkkkk, eu gosto de ler muito sobre comportamentos, e sobre idades, ajuda muito!
    Ja li Quem ama educa, atualmente to lendo As criancas aprendem o que vivenciam (Dorothy Law/Raquel Harris).
    De uma espiada acho q vai gostar, pois eu amei esse livro, ajuda muito , qto a educacao tbm sou a moda antiga, se funcionou comigo, vai funcionarcom os meus =)
    Super bjs

  7. Oi cinthia, faz tempo q nao comento mas, acompanho sempre o seu blog!
    Bom meu filho q fez 6 anos em janeiro, q tbm sempre foi facil, tbm mudou um pouco achava q por causa da irma q fez tbm em janeiro de 3 anos, ela e diferente dele tem temperamento forte e e de opiniao!
    Aff, sao bem difrentes bem mesmo, um tranquilo a outra agitada, eu to passando pelo mesmo q vc, e nao estou so 😛 Kkkkkkkk, eu gosto de ler muito sobre comportamentos, e sobre idades, ajuda muito!
    Ja li Quem ama educa, atualmente to lendo As criancas aprendem o que vivenciam (Dorothy Law/Raquel Harris).
    De uma espiada acho q vai gostar, pois eu amei esse livro, ajuda muito , qto a educacao tbm sou a moda antiga, se funcionou comigo, vai funcionarcom os meus =)
    Super bjs

  8. Guria eu tenho só uma, sei que existem várias fases e cada uma tem a sua particularidade. Uma coisa que o terapeuta me disse e é o que procuramos fazer é evitar grandes sermões, ele disse que depois de 5 minutos a mente da criança viaja e eles não escutam mais o que falamos, então procuramos resumir o que queremos falar, então se é não… é não e pronto, por enquanto tá dando certo até quando eu não sei… rsrsrsrs.
    Bjs
    #amigacomenta

  9. Guria eu tenho só uma, sei que existem várias fases e cada uma tem a sua particularidade. Uma coisa que o terapeuta me disse e é o que procuramos fazer é evitar grandes sermões, ele disse que depois de 5 minutos a mente da criança viaja e eles não escutam mais o que falamos, então procuramos resumir o que queremos falar, então se é não… é não e pronto, por enquanto tá dando certo até quando eu não sei… rsrsrsrs.
    Bjs
    #amigacomenta

  10. Oi Cy,

    ainnn eu fico maluca qdo o Pedro começa com estas "respostinhas" Grrrr :S

    Mas tb faço como vc, vou conversando e explicando e tentando mostrar pra ele que precisa tratar os outros como gostaria de ser tratado, apesar de isto nem sempre ser uma boa métrica pq tem gente q não liga para sarcasmo e tem gente q se ofende mas, o fato é que é muito dificil mesmo e acho q só o diálogo pode levar as coisas pro caminho certo!

    Força na peruca amiga! Tamo junto! hehehe

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

  11. Oi Cy,

    ainnn eu fico maluca qdo o Pedro começa com estas "respostinhas" Grrrr :S

    Mas tb faço como vc, vou conversando e explicando e tentando mostrar pra ele que precisa tratar os outros como gostaria de ser tratado, apesar de isto nem sempre ser uma boa métrica pq tem gente q não liga para sarcasmo e tem gente q se ofende mas, o fato é que é muito dificil mesmo e acho q só o diálogo pode levar as coisas pro caminho certo!

    Força na peruca amiga! Tamo junto! hehehe

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

  12. É por aí mesmo, conversa, castigos e muito amor…ah…e paciência, muita paciência. Nunca, nunca mesmo, deixe um agredir ao outro. Os meus são adultos e são ótimos, Graças a Deus, mas até chegar aqui…nem sempre foi fácil. E quem disse que seria, não é mesmo?! Beijocas e força na peruca.

  13. É por aí mesmo, conversa, castigos e muito amor…ah…e paciência, muita paciência. Nunca, nunca mesmo, deixe um agredir ao outro. Os meus são adultos e são ótimos, Graças a Deus, mas até chegar aqui…nem sempre foi fácil. E quem disse que seria, não é mesmo?! Beijocas e força na peruca.

  14. Oi Cynthia,
    Aqui a Sofia também está assim. É difícil mesmo. No meu caso ainda é pior porque ela se recusa a conversar. Simplesmente diz que não quer falar sobre o assunto. Mas vou continuando e pedindo a Deus que me dê muita paciência e sabedoria.
    Beijos
    Chris
    #amigacomenta

  15. Oi Cynthia,
    Aqui a Sofia também está assim. É difícil mesmo. No meu caso ainda é pior porque ela se recusa a conversar. Simplesmente diz que não quer falar sobre o assunto. Mas vou continuando e pedindo a Deus que me dê muita paciência e sabedoria.
    Beijos
    Chris
    #amigacomenta

  16. Oi!
    Eu não tenho filhos ainda, mas acho que você está agindo da maneira certa.
    Vejo muitas crianças respondonas e mandonas por aí. É como se os pais não estivessem se importando com isso, não querem ser vistos como os pais de antigamente, querem ser modernos e tal.
    Não tô dizendo que é fácil, mas acho que dá sim pra ser uma mãe que ensina e ao mesmo tempo é amiga dos filhos. Com calma, amor e carinho e muitaaaaaaaaa conversa, acho que se consegue.

  17. Oi!
    Eu não tenho filhos ainda, mas acho que você está agindo da maneira certa.
    Vejo muitas crianças respondonas e mandonas por aí. É como se os pais não estivessem se importando com isso, não querem ser vistos como os pais de antigamente, querem ser modernos e tal.
    Não tô dizendo que é fácil, mas acho que dá sim pra ser uma mãe que ensina e ao mesmo tempo é amiga dos filhos. Com calma, amor e carinho e muitaaaaaaaaa conversa, acho que se consegue.

  18. Nossa Cynthia, Murillo mal começou a falar. E eu estou tentando essa técnica de colocar de castigo e depois conversar, explicar o que ele fez de errado e ele fica me falando "Mamãe, não briga, não castigo!".
    Realmente eu não sei como te ajudar, e também acho que ficaria sem saber o que fazer. Mas por aqui, experiência em casa com o meu irmão mais novo, a minha mãe tentou por diversas vezes explicar que ela estava educando ele e por isso não teria que ter respostas, que nunca se responde para uma mãe. Que ela era a mãe e ele era o filho e que deveria respeitá-la até que isso resolveu.
    Beijos
    #amigacomenta

  19. Nossa Cynthia, Murillo mal começou a falar. E eu estou tentando essa técnica de colocar de castigo e depois conversar, explicar o que ele fez de errado e ele fica me falando "Mamãe, não briga, não castigo!".
    Realmente eu não sei como te ajudar, e também acho que ficaria sem saber o que fazer. Mas por aqui, experiência em casa com o meu irmão mais novo, a minha mãe tentou por diversas vezes explicar que ela estava educando ele e por isso não teria que ter respostas, que nunca se responde para uma mãe. Que ela era a mãe e ele era o filho e que deveria respeitá-la até que isso resolveu.
    Beijos
    #amigacomenta

  20. Menina!!!Tenho uma filha que agora está com doze anos e sempre foi de muita opinião e argumentativa como ninguém…Desde pequenininha sempre sofri com os debates, pois infelizmente entro na dela e acabo batendo boca ou dando satisfações que não cabem à ela. E agora, na pré adolescência está muito mais difícil! Só por Deus!!!! Fica muito mais difícil e além de debater e argumentar de vez em quando chora por qualquer coisa.
    Ser mãe é uma maravilha!!!
    Só penso no futuro e algumas vezes quando ela reclama de alguém tipo professora, diretora, algum adulto, eu falo para ela argumentar e debater com eles como ela faz comigo, porque na verdade é o que eu quero mesmo. Entende?! Se comigo ela é tão feroz nos argumentos e tentativas de convencimento, eu quero é mais que ela seja assim com as outras pessoas também, tudo com respeito, mas mostrando a vontade e visão dela.
    O que você acha??
    Bjs e tudo de bom para você e seus pimpolhos!

  21. Menina!!!Tenho uma filha que agora está com doze anos e sempre foi de muita opinião e argumentativa como ninguém…Desde pequenininha sempre sofri com os debates, pois infelizmente entro na dela e acabo batendo boca ou dando satisfações que não cabem à ela. E agora, na pré adolescência está muito mais difícil! Só por Deus!!!! Fica muito mais difícil e além de debater e argumentar de vez em quando chora por qualquer coisa.
    Ser mãe é uma maravilha!!!
    Só penso no futuro e algumas vezes quando ela reclama de alguém tipo professora, diretora, algum adulto, eu falo para ela argumentar e debater com eles como ela faz comigo, porque na verdade é o que eu quero mesmo. Entende?! Se comigo ela é tão feroz nos argumentos e tentativas de convencimento, eu quero é mais que ela seja assim com as outras pessoas também, tudo com respeito, mas mostrando a vontade e visão dela.
    O que você acha??
    Bjs e tudo de bom para você e seus pimpolhos!

  22. Olha, eu não sei se piora com o tempo ou se aparecem novas dificuldades. Porque quando a gente passa pela fase, quando olha para trás as vezes nem parece tão difícil. Mas quando enfrentamos algo desconhecido aquilo parece instransponível. E estou falando porque também passo por cada uma com o Vítor! Ele é turrão, teimoso e, as vezes, desrespeitoso. Converso, explico, brigo… mas nem sempre funciona.

    Uma amiga me disse uma vez que, quando as coisas acontecem com a gente, temos a tendência a achar que não está funcionando só porque não é com a velocidade que gostaríamos. Então, acho que o jeito é respirarmos fundo e seguir em frente (com umas pausas para pirar, que a gente merece).

    Bjs
    Tati
    #amigacomenta

  23. Olha, eu não sei se piora com o tempo ou se aparecem novas dificuldades. Porque quando a gente passa pela fase, quando olha para trás as vezes nem parece tão difícil. Mas quando enfrentamos algo desconhecido aquilo parece instransponível. E estou falando porque também passo por cada uma com o Vítor! Ele é turrão, teimoso e, as vezes, desrespeitoso. Converso, explico, brigo… mas nem sempre funciona.

    Uma amiga me disse uma vez que, quando as coisas acontecem com a gente, temos a tendência a achar que não está funcionando só porque não é com a velocidade que gostaríamos. Então, acho que o jeito é respirarmos fundo e seguir em frente (com umas pausas para pirar, que a gente merece).

    Bjs
    Tati
    #amigacomenta

  24. Cynthia,
    Essa fase para mim passou faz bastante tempo, mas como mãe e fonoaudióloga que sempre orientou pais, te digo: é bem o que você enfatizou – fase. Passa. Mas é o momento de você estabelecer limites, fronteiras, porque é exatamente o que ele está pedindo. está testando (inconscientemente) até onde pode ir. E também é o momento de, por mais que seja difícil, pois tempo e paciência andam curtos nos nossos dias, ser coerente e firme nos teus valores. Ele já se encaixa, você vai ver.
    Bom fim de semana,
    BJô

  25. Cynthia,
    Essa fase para mim passou faz bastante tempo, mas como mãe e fonoaudióloga que sempre orientou pais, te digo: é bem o que você enfatizou – fase. Passa. Mas é o momento de você estabelecer limites, fronteiras, porque é exatamente o que ele está pedindo. está testando (inconscientemente) até onde pode ir. E também é o momento de, por mais que seja difícil, pois tempo e paciência andam curtos nos nossos dias, ser coerente e firme nos teus valores. Ele já se encaixa, você vai ver.
    Bom fim de semana,
    BJô

  26. Olá, Samia!

    Você já ouviu falar duma teoria da psicologia que diz que em certa idade a filha se 'apaixona' pelo pai e o filho pela mãe? Pode ser isto que está acontecendo com a sua pequena. E juntando o fato de uma nova irmãnzinha, a ciumeira se intensifica.
    Sugiro reservar um tempo para ela te ajudar a cuidar da irmã, como segurar a toalha enquanto você dá banho, pegar uma fralda limpa na hora da troca, enfim… no mais é só ter paciência que logo passa!

    Um beijo!

  27. Cynthia,

    Melissa é montanha russa de altos e baixos aqui, tem dias de paz e amor e outros de arrepiar os cabelinhos mesmo. Eu sempre fui a mãe de castigo, de pensar, da reflexão e andei percebendo que não cola mais e ao invés de castigar e punir, adotei o reforço positivo como forma de incentivo de combinados, regras e afins. Dar está autonomia para Melissa está modificando as coisas em casa.
    Boa sorte por aí.

    Bjs

    @eubemqueteavisei

Deixe uma resposta